Para Ver Antes de Morrer: 40. The White Stripes | Fell In Love With A Girl

Anos 2000, Para Ver Antes de Morrer | 23 out 18 - por João Paulo Porto

Criado totalmente com peças de LEGO, “Fell In Love With A Girl” tornou-se um dos videoclipes mais icônicos de todos os tempos ao combinar, perfeitamente animação stop-motion com o rock de garagem do White Stripes. E claro, também contou com a genialidade de Michel Gondry, admirado como um dos mais inovadores diretores de todos os tempos.

Gondry, um fã assumido do Lego desde a infância, teve a ideia de fazer o vídeo a partir das imagens em preto, vermelho e branco que os White Stripes usavam em suas capas de álbuns e shows ao vivo. “Há algo charmoso e ingênuo nisso”, disse Gondry. “Eu fiz um paralelo entre isso e o básico da cor dos blocos de Lego.”

Ele chegou com as ideias em um encontro num restaurante. A banda topou na hora (afinal, quem são eles para negarem as ideias do Michel Gondry?). O clipe levou mais de seis semanas para ser realizado e contou com a colaboração de 15 animadores.

E tudo funcionou muito bem por alguns motivos. Um deles é que Gondry usou apenas bloquinhos básicos em um esquema de cores bem limitado – Jack e Meg não eram transformados em pequenas figuras de Lego, mas sim em versões pixeladas. Para aumentar ainda mais o efeito, no momento em que “Fell In Love With a Girl” foi lançado, o duo ainda estava em um período em que se vestia com cores simples, tornando-os reconhecíveis mesmo com uma paleta de cores muito limitada. Eles também se vestiam praticamente do mesmo jeito em todos os lugares que iam tocar.



Gondry varia as técnicas usadas no vídeo. Em algumas cenas, vemos uma parede com os blocos se aproximando de uma tela muito pixelizada, e em outras vemos os blocos em um ângulo diferente. Há também representações muito vívidas e de alta resolução do duo. E essas técnicas deixavam claro que tudo foi feito a mão, sem nenhum tipo de efeito pós-produção.

Para tornar o vídeo o mais realista possível, o diretor filmou os membros da banda tocando e fazendo outras atividades, como natação. Ele então imprimiu imagens pixeladas destas imagens e construiu um modelo de Lego diferente para cada imagem. Os modelos foram montados na frente de uma câmera e filmados um quadro por vez.

A resposta de público e crítica foi imediata. A Entertainment Weekly disse que “as imagens melhoram as letras … Você pode levar a metáfora ainda mais a fundo. Assim como em Legos, o amor e o sexo podem tomar qualquer forma que sua imaginação desejar”. A revista ainda  incluiu o clipe entre os melhores da década. Já o site Pitchfork elegeu como o clipe da década.




O clipe recebeu quatro indicações no MTV Music Awards e levou para casa 3 trofeus: Melhor edição; Melhores Efeitos Especiais e Vídeo que quebrou barreiras. Perdeu apenas para Vídeo do Ano.

“Essa é a criação mais incrível que eu já vi em Lego, e definitivamente a mais criativa e original”, disse Roger Cameron, designer sênior da Lego. Cameron ficou tão impressionado com os mínimos detalhes apresentados no vídeo que o próprio acredita que o vídeo motivou uma nova leva de entusiastas do LEGO. “Muitas pessoas que assistem ao vídeo são pessoas que brincavam com Lego quando eram crianças, e até mesmo as crianças de hoje assistem e pensam: ‘Uau, Lego é legal. Isso abre as portas para uma nova área para nós e uma nova base de entusiastas”, afirmou.

De fato, o clipe marcou uma geração e continua a encantar pessoas que descobrem o seu valor como obra de arte audiovisual.

Direção: Michel Gondry | Ano: 2003

 

João Paulo Porto

Criador do site 1001 Videoclips e apaixonado por The Smiths.