Anúncio com Código

Cinco vezes em que a cruz apareceu em videoclipes e ninguém se ofendeu (tanto)

Listas | 17 jul 15 - por João Paulo Porto
madonna

Eu sei que essa discussão acerca da crucificação da transsexual Viviany Beleboni já deu o que tinha que dar, mas não custa lembrar das vezes que a cruz foi utilizada em um videoclipe e ninguém se ofendeu tanto quanto o ocorrido na ultima parada gay de São Paulo. Apenas quando a lançou o mega-ultra-hiper-polemico clipe de Like A Prayer, tenha sido a única vez que uma artista causaria tanto reboliço por mexer com símbolos religiosos. No caso, a cantora beija um santo negro (se não bastasse ser um santo,tinha que ser negro) e dança em frente a cruzes pegando fogo. O mundo parou para ver aquilo. Hoje, Madonna não assusta nem uma garotinha. Mas não podemos negar que ela foi o pontapé inicial para muitos outros videoclipes com ideias provocativas que brincavam com a imagem da cruz.

Abaixo listamos  cinco clipes que causaram certo incomodo por brincar com o simbolo máximo da religião católica, mas que não chocaram tanto quanto a imagem da transsexual em plena avenida paulista. 

crucifixo

Madonna canta em frente a cruzes ardentes.

Em 1994, dirigiu o forte Closer, um clipe incrível do  que  mexia com temas fortes como religião, sexualidade,  crueldade contra animais, política e terror. Foi um tanto controverso devido ao seu imaginário, que incluiu um coração sem corpo pulsa em uma cadeira, uma mulher nua careca com uma máscara de crucifixo e um macaco amarrado a uma cruz, em uma das cenas mais assustadoras de todos os tempos.

Em “Alejandro”, um dos piores clipes da , a cantora parece engolindo um crucifixo vestida de “freira” e encena um estupro. A direção de Steven Klein e os passos de dança da Gaga estão maravilhosos!

Os australianos do BELPHEGOR foram muito longe e exibiram uma freira nua com corpse paint se esfregando na cruz, no videoclipe “Lucifer Incestus“. Houve polêmica? Não muito.

usou o símbolo cristão no videoclipe de “Coma White” e quase ninguém se ofendeu. Mesmo assim, o clipe foi proibido de ser transmitido em muitos canais de TV.

O diretor, ator e músico cria uma relação sexual bela e repugnante ao mesmo tempo. A co-estrela deste videoclipe é a pornstar de 28 anos, , famosa no ramo pornográfico. O vídeo traça uma relação ardente entre dois amantes em um ambiente surreal com direito a voyeurs asiáticas, diamantes de gelo, crucifixos em lugares impensáveis.  Apesar de conter imagens chocantes, o clipe passou despercebido pela grande mídia.

BONUS:

Aqui temos uma exceção. Em 1994,  não apenas causaria polêmica, mas também queria mostrar suas opiniões (não apenas na religião, mas também como homem negro e vitima do racismo), provocar o pensamento e tocar corações com “Hate Me Now” ainda considerado um dos vídeos mais impactantes já exibidos na MTV. A encenação da crucificação é magnificamente apresentado, bem interpretada pelo elenco (especialmente o rapper no papel de Cristo) e muito tocante. Na época, “Hate” ocupou muito mais espaço na imprensa do que qualquer outro clipe em anos e inspirou muitos outros artistas.

João Paulo Porto
João Paulo Porto

Fundador do 1001 Videoclips e louco por The Smiths

  • Ainda tão falando disso?

    zzzzzzzzzz