Anúncio com Código

Tidal: o fim do acesso gratuito ao videoclipe?

Artigos | 07 abr 15 - por João Paulo Porto
tidal_rihanna

Quer assistir ao novo vídeo da Rihanna American Oxygen? A menos que você esteja disposto a pelo menos tentar uma versão gratuita por tempo determinado do novo e polêmico serviço de streaming Tidal, então tudo bem. Ao contrário, será difícil ver o novo videoclipe da cantora caribenha no canal de videos mais popular do mundo, o YouTube.

tidal_rihanna

“Tidal: Artistas primeiro. Não é sobre consumo e ganância. É sobre pproteger uma forma de arte que é amada por todos nós” – Rihanna

O novo serviço que chegou sob a batuta do rapper Jay Z – e com apoio de artistas do gabarito de Madonna, BeyoncéTaylor Swift e Daft Punk, entre outros gigantes da música atual – prometendo revolucionar (salvar) o mercado fonográfico, está criando um novo tipo de mercado, onde até mesmo para ver clipes, você será obrigado a pagar.

Além do Tidal, um novo canal de vídeos, o vessel – inaugurado a pouco tempo – promete videos exclusivos de canais que antes eram acessíveis de graça no YouTube, por um valor X mensal. O serviço possui um contrato de exclusividade com as poderosas Universal Music Group e Warner Music que dá acesso antecipado a estreias de vídeos musicais exclusivos apenas para quem é assinante.

YouTube também parece querer entrar no mercado das assinaturas, mas com uma proposta diferente: o canal de videos mais famoso e popular do mundo anunciou, recentemente,  um tipo de subscrição que não promete quaisquer exclusividades, mas vai acabar com todos aqueles anúncios irritantes (desculpe, eles são irritantes) enquanto VEVO continua a aperfeiçoar e expandir o seu serviço.

Se este não é o começo do fim da era do acesso livre e gratuito ao vídeo on-line, é, pelo menos, um sinal de que a era do monopólio do YouTube pode estar chegando ao fim.

E outra. Como acredita a cantora Lilly Allen, com os preços altos cobrados pelas mensalidades do Tidal, as pessoas podem voltar a baixar músicas ilegalmente. E isto pode ser extendido aos videoclipes também.

E você, o que acha deste novo serviço? Deixe sua opinião nos comentários.

João Paulo Porto
João Paulo Porto

Fundador do 1001 Videoclips e louco por The Smiths