Anúncio com Código

Para Ver Antes de Morrer: #202. Stephen Malkmus & The Jicks | Dark Wave

Para Ver Antes De Morrer | 27 jul 13 - por Thiago Murta Ferreira

Em um quarto escuro, a iluminação está fraca e é focada em uma pessoa deitada em uma cama. Na madrugada, o som se inicia ao ronco de um senhor que está aprestes no seu segundo estágio do sono. Mal sabe ele que as suas tatuagens criam vidas e particularmente interagem com a música que está tocando.

São muitas tatuagens que se destacam e fazem leves movimentos na pele do nosso dorminhoco. As tintas ganham vida e as artes tem uma temática voltada para a marinha.  No início temos a tesoura cortando as linhas pontilhada que entrelaçam o pescoço e depois a ancora. Logo em seguida, vemos esqueletos de pirata, sereia e havaiana tocando um violão. No peito do velho, está o marinheiro – ninguém menos que o próprio cantor – ditando que é a hora certa para as imagens se despertarem de forma animada.

Descobrimos que o cara é um viciado em tatuagem, um verdadeiro compulsivo. E são muitas. O mais interessante é que eles totalmente brigam por um espaço em que não haja uma gota de tinta na pele do fulano. As interações de cada desenho são práticas e fazem a música fluir de maneira bem dinâmica.

Filmado em plano aberto e com efeitos especiais um pouco “datados”, a ideia e a criação do diretor Scott Lyons, muito bem executadas, por sinal, era novidade na época. Não tem nenhum erro de continuação, um nível de rotação do personagem humano real que se vira sem perder a proporção de escala e a continuação dos desenhos. Um joia de perfeição. 

A computação gráfica que é inserida no cara deitado nu, começa no peito passando pelas pernas até volta a barriga, até o momento que o cara se vire de costa. O interessante é que a temática marítima e monstros do mar continuam até não parar mais. O maior desenho é um navio enorme que é guiado pelo Stephen Malkmus em forma de tinta em uma cena crucial de uma batalha no mar contra um polvo gigante. O videoclipe é rápido e viciante, uma pena que o senhor termina dormindo de má postura.

Se você é adepto ou simpatizante do universo das tattoo, vai se identificar com o clipe. Mas cuidado para não se tornar um compulsivo como este cara.

Diretor: Scott Lyons | Ano: 2003

Thiago Murta Ferreira

Cursando em Turismo na (UNICID – SP), a sua disciplina que mais se dedica é área de Artes e Museologia. Na qual, pretende entrar na carreira de Design em breve. Desde criança assistia e anotava os seus videoclipes interessantes em um caderno. Um bom pretexto que se dedica no site é sobre videoclipes artísticos, do Rock ao Eletro underground dos anos 90 e até os dias de hoje. Sempre procurando as curiosidades relevantes das produções audiovisuais.