Anúncio com Código

Para Ver Antes de Morrer: #239. Slipknot | Duality

Para Ver Antes De Morrer | 28 jun 14 - por Thiago Murta Ferreira
8b6568b7669af4a36509369b3484e542

Capturar slipk4Imagine você… fãs headbangers! Em um belo dia, os membros da banda Slipknot decidem fazer um videoclipe na sua casa utilizando como cenário; a mobília e todos os acessórios envolvidos no ambiente. Porém, você será ressarcido caso seu doce lar estiver completamente destruído! Você daria o aval para poder filmar na sua residência?

Foi assim que aconteceu em 2004 e francamente, a ideia se tornou uma das jóias raras da filmagem massiva e destrutiva no cenário audiovisual.

Essa história ousada aconteceu na região de West Des Moines em Iowa nos EUA, terra natal da banda, quando os fãs viram um anúncio no jornal da cidade, marcando a data, a hora e o local das filmagens. O dono da casa só foi comunicado uma semana antes e como o garoto era menor de idade, ele teve que pedir permissão aos pais para aprovarem a ideia, claro. Infelizmente não encontrei o nome do sortudo que possibilitou o acesso de aproximadamente mil pessoas enfurecidas correndo nos cômodos, ouvindo som do Nu-Metal no talo e não restando quase nada para querer voltar para morar.

Capturar slipk2A grande multidão de fãs correndo em direção à câmera, que é claramente vista pelos integrantes atrás de uma janela. Como a música muda de intensidade dos cortes de cenas, dentro da casa alternam constantemente entre os takes da banda e os fãs instalando o caos e a desordem envolvente.

A direção ficou por conta de Tony Petrossian e M. Shawn Crahan e a produção teve que ser dividida para delimitar a área das filmagens. Apesar de ser um simples vídeo, tinha que conter a massa de pessoas correndo em direção da casa com o intuito de assegurar que nenhuma pessoa se machucaria na gravação. Algo que não aconteceu no planejado, teve indicio de um fã (figurante) que quebrou a perna quando saltou em cima do telhado, indo direto ao encontro do chão. – Que insanidade! Alguns jovens se machucaram com ferimentos leves devido aos bate-cabeças alucinantes e foram socorridos por uma ambulância que estava no local.  Se para conter o público já foi difícil, imagine como não foi difícil para instalar as câmeras naquele ambiente hostil? A filmagem em handcam principal focado por todos integrantes mascarados com seus fãs, aconteceram na cozinha e no meio da gravação, a banda e os fãs foram aconselhados a evitar pular muito, caso contrário, poderia ceder à estrutura ou as colunas da casa.

Capturar slipk1Aparentemente, o vocalista Corey Taylor acalma a multidão com um braço estendido , que é seguido com o andar no meio da multidão repetindo a letra “All I’ve got, all I’ve got is insane” . Interessante que no inicio do vídeo o portão da garagem está pinchado “You cannot kill what you did not create” uma frase da própria música.

Em seguida, os cortes de cena da multidão ainda maior situam-se do lado de fora. Momentos que o refrão começa, a multidão imediatamente continua a destruir seus arredores e a canção termina abruptamente.

Os custos gastos foram aproximadamente entre US $ 300.000 e US $ 500.000. No rescaldo dos quais resultaram essa bagunça, a família teve o direito de listar alguns objetos e acessórios a serem substituídos. O prejuízo da produtora em ressarcir a família foi pago por volta de 50 mil dólares.

IMAGEM6– O que ocasionou? Um grande sucesso do álbum titulado de “Vol. 3 The Subliminal Verses” de 2004, a faixa foi a que mais se destacou e alcançou o topo das paradas em vários países. Na Billboard a banda ficou por sete semanas nas paradas, Foi indicado um ano depois no Grammy e se estabeleceu no mapa do metal no mundo a fora. A Roadrunner Records colocou “Duality” em primeiro lugar no rank dos videoclipes mais bem elaborados pela produtora na década passada. LINK

 

Direção: Tony Petrossian & M. Shawn Crahan | Ano: 2004

Thiago Murta Ferreira

Cursando em Turismo na (UNICID – SP), a sua disciplina que mais se dedica é área de Artes e Museologia. Na qual, pretende entrar na carreira de Design em breve. Desde criança assistia e anotava os seus videoclipes interessantes em um caderno. Um bom pretexto que se dedica no site é sobre videoclipes artísticos, do Rock ao Eletro underground dos anos 90 e até os dias de hoje. Sempre procurando as curiosidades relevantes das produções audiovisuais.