Anúncio com Código

Review: Madonna “Ghosttown” (Jonas Akerlund, Dir.)

Review | 09 abr 15 - por João Paulo Porto
madonna ghosttown review

Eu tenho que confessar que sempre torci o pescoço para essa nova fase da dona da banca (como eu costumo chamar a lenda pop , neste espaço), simplesmente porque acreditava que a rainha deveria deixar as novas gerações de cantoras de corações rebeldes (?)  terem seus momentos. Afinal de contas, você já teve o seu, não é mesmo, bitch?

Madonna ghosttown music video

Madonna em “Ghosttown”

Mas estava enganado, pois não havia ainda assimilado o conceito geral dessa nova empreitada da nossa bitch favorita (Nicki Minaj my cool), que é provar para o mundo que há sim vida (abundante, diga-se de passagem) após os 50. E Madonna está esfregando na nossa cara antes de qualquer um por ai com o estupendo video de “Ghosttown” (assim como ela fez já no distante ano de 89, quando mostrou pros marmanjos que podia abrir um pote de azeitonas sozinha em seu poderoso hino Express Yourself).

Tudo começou em 14 de setembro de 1984; a MTV exibiria sua primeira cerimônia de premiação dos melhores videoclipes do ano, o famoso MTV Video Music Awards. No palco estava MADONNA, THE DANCE DIVA com a atitude de rebelde, no topo de um bolo de casamento gigante no Radio City Music Hall, em Nova York, estreando “Like A Virgin”, o primeiro single de seu segundo álbum homônimo, revelando uma pequena amostra de sua Blondie Ambition. Meio eufórico, o público estava criando forças para digerir o que tinham acabado de presenciar. Naquele momento, Madonna passaria de garota esquisita a fenômeno pop mundial. A indústria da música ainda não havia percebido que estava testemunhando a coroação não oficial da nova rainha do POP.


 

Este episódio se tornou tão marcante para o industria cultural quanto quando os Beatles apareceram no The Ed Sullivan Show, e Michael Jackson desfilou seu moonwalking pela primeira vez na TV.


O duplo impacto de “Like a Virgin” e “Material Girl” (outra sacada inteligente da cantora) solidificou a posição de Madonna como nova it-girl do pop e começou, então uma corrida imparável de singles de sucesso que continuariam ao longo de três décadas. (Madonna é uma das poucas artistas ao alcançar o topo das paradas da Billboard em 3 décadas diferentes).

Agora, mais de 30 anos depois, Ela está ai para provar que idade não importa mesmo. O videoclipe de “Ghosttown”, lançado primeiramente no aplicativo de videos Meerkat, e depois em seus canal oficial do Vevo, é um deslumbre visual impar concebido  para ser uma ficção científica que consegue fundir de forma eficaz temas filosóficos com seqüências de dança cuidadosamente coreografadas e fotografia influenciada pelo mestre do fotojornalismo Steve McCurry.

madonna ghosttown music video

Após acordar de um sono profundo, Madonna descobre que o mundo em que ela “existia” previamente foi devastado por um Apocalipse. Vestida em trajes com meias-arrastão, capa longa esverdeada e uma cartola (assinada por B. Akerlund), Madonna desfila sensual entre os destroços do que sobrou até que é perseguida por uma figura misteriosa, ninguém menos que o magnata da indústria musical na série americana Empire, Terence Howard. Sobrevivente ao apocalipse, ele aponta um rifle para a Rainha do Pop antes de elegantemente impactar a todos com uma dança de tango tão apaixonante quanto estar… apaixonado. A dança é uma impressionante sequência coreografada, embora a imagem de um Howard cansado orgulhosamente segurando a mão de um menino no final do vídeo quase rouba a cena.

madonna ghosttown music video

“Ghosttown” se desenvolve como uma meditação longa sobre como o amor é o propósito da vida, mesmo em tempos complicados. O video, dirigido inteligentemente, ainda que por vezes tediante, pelo sueco  (“Ray of Light” e “Music”, entre outros) também é uma reflexão sobre a passagem do tempo. É impossível não se questionar ao ver como a cantora consegue se manter relevante mesmo depois de tantas mudanças no cenário pop desde o MTV VMA de 1984.

O segredo? Está na grande personalidade e charme de Madonna. Não é apenas sua voz. Há algo por trás da personagem “Madonna”, criada há exatamente 30 anos no inesquecível MTV Awards de 1984 que a tornou interessante para o público. Some-se a isso a incrível capacidade de reinvenção que só um alguém com um coração rebelde pode ter. Madonna é boa nisso, e já fez isso tantas vezes. E ainda assim, paramos para prestar atenção nela. Como agora.

madonna ghosttown music video

Wallpaper por: 

 

João Paulo Porto
João Paulo Porto

Fundador do 1001 Videoclips e louco por The Smiths