Para Ver Antes de Morrer: 45. Britney Spears | …Baby One More Time

Anos 90, Para Ver Antes de Morrer | 25 out 18 - por João Paulo Porto

A música, que mudou a cara da música pop, completa 20 anos em 2018, e a maioria das crianças (e adultos) que viveram aquela época, lembram com carinho um dos clipes mais marcantes da virada do milênio, eleito pela Billboard como o mais influente dos anos 90.

Antes de Britney Spears entrar em cena, o pop dos anos 90 era amplamente dominado por baladas xaropes irritantes. A versão de Whitney Houston de “I Will Always Love You” iniciou uma legiões de imitadores pelos anos seguintes. Mariah Carey, Celine Dion, Shania Twain. Até mesmo Madonna – historicamente um pouco atípica quando se trata de cantar em excesso – entrou na onda com “Don’t Cry For Me Argentina”. A única exceção eram as girl bands Spice Girlse TLC? Então, veio Britney.



Lá em 1998, uma ex-cantora do Clube do Mickey(programa do Disney Channel que ela apresentou nos anos 90 ao lado do ex Justin Timberlake 

e da rival Christina Aguilera) que ninguém levaria tão a sério virou o mercado fonográfico de cabeça para baixo. Ela não precisava cantar bem, mas tinha o rosto e a atitude que todas as adolescentes da época queriam ter. O produtor sueco Max Martin escreveu a canção para a TLC, que recusou. Depois foi a vez de Robyn recusar. Spears a pegou e transformou num sucesso retumbante.

O look de Britney em “…Baby One More” Time era babado em 1998

E uma música icônica precisava de um vídeo icônico. Felizmente, o conceito original do diretor Nigel Dick foi descartado. “então a gravadora me colocou de volta no telefone com Britney, que me disse que queria fazer um vídeo em que ela aparecia em uma sala de aula pensando em garotos”, escreveu Dick. O visual uniforme de escola, combinado com aquele penteado “maria-chiquinha” e a famosa barriguinha seca de fora, também foi ideia de Spears. O que parece insosso agora causou alvoroço na época. Programas como o popular Total Request Live da MTV, transmitiam o clipe sem parar.

O vídeo, um momento instantâneo da cultura pop que deu notoriedade aos tablóides, também se fundiu na consciência do público com a polêmica reportagem de David LaChapelle para a revista Rolling Stone em que Spears aparecia deitada em sua cama de calcinha segurando um Teletubby. De repente, o gênero teen pop explodiu.

É seguro dizer que sem o icônico vídeo da Britney, talvez não tenhamos os sutiãs de cupcake de Katy Perry, Taylor Swift ainda estaria cantando country, a sensualidade alegre de Rihanna ou a criatividade lúdica de Lady Gaga em “Paparazzi” não existiriam. Inúmeros outros artistas pop de hoje também devem pelo menos algumas coisas à Britney.



Filmado em Veneza High School – o mesmo local usado para o filme Grease – o clipe apresenta a estrela pop como uma estudante entediada em uma escola católica. Além de incorporar coreografias ao vídeo, Britney também trocou os trajes escolares por tops super curtos e mais barriguinhas de fora. Claro, não é difícil supor que o estilo virou tendência mundial.

“… Baby One More Time” enfrentou críticas previsíveis. Alguns chamavam a música de insípida. Outros sugeriram que Britney expondo sua barriga, corromperia a juventude da América. além do exagero de conotação sexual em suas expressões. No entanto, em face de muitos dos questionáveis ​​vídeos dos anos 90, que sexualizavam as mulheres em graus muito mais preocupantes, Britney Spears era uma estrela pop responsável por sua imagem, misturando inocência e experiência em um icônico momento da música. 

Liderando o caminho no pop, “… Baby One More Time” foi apenas o primeiro single de uma estrela sem vergonha de expressar sua sexualidade. Vinte anos depois, ele ainda se destaca como um momento que abriu o caminho para inúmeros outros artistas.

Diretor: Nigel Dick | Ano: 1998

João Paulo Porto

Criador do site 1001 Videoclips e apaixonado por The Smiths.