Para Ver Antes de Morrer: 0018. Queen | Bohemian Rhapysody

Anos 70, Para Ver Antes de Morrer | 22 fev 18 - por João Paulo Porto
queen-bohemian-rhapysody

Queen sabia que “Bohemian Rhapysody” era especial porque era a peça principal do disco A Night At The Opera e precisava de um tratamento audiovisual impactante. Eles acertaram em cheio e produziram, talvez sem intenção o primeiro grande videoclipe da história do formato audiovisual.

Quando o Queen e o diretor Bruce Gowers decidiram fazer um videoclipe para o single, em 31 de outubro de 1975, eles não consideravam um projeto inovador. Na verdade, eles nem sequer se importariam em fazê-lo se a música não fosse tão complexa, já que não havia maneira de tocá-lo fielmente em um estúdio de televisão, pelo menos, não com todos os overdubs e vozes.

Por outro lado, um vídeo permitiria que eles apresentassem a música em todo o esplendor da ópera. E também um dos motivos que levaram o Queen a fazê-lo foi que durante a longa turnê que sucederia o lançamento, eles não teriam tempo suficiente para se apresentar em vários programas de TV ao vivo, como o Top of The Pops, onde foi exibido pela primeira vez. Então um vídeo como este cairia como luva. Claro, uma música ambiciosa exigiu um vídeo ambicioso e foi isso – juntamente com o enorme sucesso do proprio single, que lhe deu uma repercução sem precedentes – que fez ele se destacar do outros vídeos promocionais que eram produzidos na época.

Todos os efeitos especiais foram alcançados durante a gravação. O efeito visual da face de Mercury em cascata foi realizada ao apontar a câmera para um monitor, produzindo um feedback visual interessante, um efeito semelhante ao retorno de áudio. A ilusão do favo de mel foi criada usando uma lente especial. O vídeo foi editado em cinco horas, porque deveria ser transmitido na mesma semana em que foi gravado. 

O resultado final foi um vídeo promocional revolucionário que acabou se tornando uma excelente ferramenta usada por todas as bandas. Nos anos 80, os clipes se tornariam produto de massa cada vez mais elaborados, mas “Bohemian” será lembrado como o ponta-pé inicial. Embora em termos históricos, não fosse. 

Quando “Rhapsody” ressurgiu na cena de abertura do Wayne’s World no início de 1992, o vídeo ganhou uma segunda vida inesperada. Para aproveitar de sua popularidade, o Queen relançou o single com um novo vídeo que uniu o original do Gowers com clipes do filme. A MTV tinha apenas 10 anos de vida, mas o impacto da rede na iconografia do pop estava profundamente enraizado. E aqui estava o vídeo de “Rhapsody” mais uma vez, sendo visto pela primeira vez por uma geração de novos fãs, contextualizado como a própria história da rede.

Diretor: Bruce Gowers Ano: 1975

João Paulo Porto

Criador do site 1001 Videoclips e apaixonado por The Smiths.