Anúncio com Código

Os melhores videoclipes internacionais de 2015

Listas | 21 jan 16 - por João Paulo Porto
1436146348159

Estes são os clipes favoritos do ano de 2015 selecionados pela equipe do 1001 Videoclips. E se você ainda não viu, não perca tempo e esteja por dentro dos melhores clipes lançados no ano que passou.

Siga o 1001 Videoclips no Twitter e no Instagram e não perca nenhuma atualização.

30. Rudimental “Never Let Me Go” (Nez, Dir.)

O diretor Nez cria sua própria sociedade inspirado no filme Koyaanisqatsi e no doc Baraka, porém com mais cor, tinta, pó e drones. “Never Let You Go” é muito mais do que promete, e vale a pena ver até o final.

29. Yogi & Skrillex f/ Pusha T, Moody Good, TrollPhace “Burial”

Não mexa com aquele bando de saqueadores que mais se parecem com um pesadelo acordado. Este clipe inusitado e bizarro do Yogi com Skrillex vai te deixar perturbado d início ao fim.

28. Childish Gambino “Sober” (Hiro Murai, dir.)

Childish Gambino aparece embriagado e/ou possuído por demônios no clipe de “Sober”. O diretor  Murai dirige o primeiro grande vídeo de 2015 e com um de seus colaboradores regulares, , que nos entrega um desempenho magnético como um drogado que tenta impressionar uma garota num restaurante.
 

27. Drake “Hotline Bling” (Director X, dir.)

Dono de um dos álbuns de maior sucesso de 2016 – ViewsDrake dança sozinho num ambiente geométrico no clipe de “Hotline Bling” e vira uma fábrica de memes na internet com seus passinhos de dança hilários. A contagiante faixa fez um tremendo sucesso em 2015.

26. Taylor Swift “Bad Blood” (Joseph Kahn, dir.)

Taylor Swift, Kendrick Lamar e um elenco deslumbrante no épico “Bad Blood”. O clipe agradou o grande público. É divertido, louco, e repleto de carisma. E a participação de  somente a deixou mais incrível. A americana mostra que tem moral no mercado fonográfico internacional e possui carta branca da gravadora para criar peças audiovisuais luxuosas e deslumbrantes como esta. Então aproveita Taylor que a coisa não tá fácil  pra ninguém.

25. Tame Impala – “Let It Happen”

O vídeo de “Let It Happen”, da banda australiana , é simplesmente sensacional. Dinâmico e sofisticado. O diretor visionário  retrata uma atmosfera de profunda e angustiante ansiedade do homem moderno.

24. Autre Ne Veut “World War Pt. 2” (Allie Avital, dir.)

Contextualizado de uma maneira que faz com que seja impossível de ignorar, o diretor Allie Avital proporciona uma experiência de visualização inquietante com este clipe do Autre Ne Veut“World War Pt. 2”.
 

23. Pharrell Williams “Freedom” (Paul Hunter, dir.)

O clipe ultra-ambicioso de  descontroi o significado da palavra Liberdade (Freedom, em português) e mostra o cantor de “Happy” viajando pelo mundo e colhendo belas imagens tão inspiradoras quanto às dos fotógrafos da National Geographic como Stevie McCurry e também do brasileiro Sebastião Salgado.
 

22. Adele “Hello” (Xavier Dolan, dir.)

acertou em cheio com o tom certo de Sépia para o clipe de “Hello”. Faixa e clipe, dirigido por Xavier Dolan, foram um enorme sucesso. O vídeo já ultrapassou 1 bilhão e meio de visualizações. É muita coisa.

21. Charli XCX: “Famous”

Dirigido por Eric Wareheim, o clipe é a meditação alegre de Charli a respeito da fama: sangue é substituído por emojis, rostos intocados tornam-se coberto de cicatrizes e uma garota dançando no quarto dela se transforma em uma pequena cena de horror. Tivemos um pequeno deslumbre sobre o preço da fama.

20. Joanna Newsom: “Sapokanikan” (Paul Thomas Anderson, Dir.)

Quase nada acontece no vídeo de “Sapokanikan” da Joanna Newsom. Na verdade, nada acontece. Apenas acompanhamos Newsom caminhando pelas ruas de Manhattan através da câmera de Paul Thomas Anderson. E acredite. Não precisa acontecer muito quando temos por trás das câmeras, um dos mais prestigiados diretores de cinema de todos os tempos.

19. Donnie Trumpet & the Social Experiment: “Sunday Candy” [ft. Chance the Rapper]

Dirigido pelo próprio Chance juntamente com Austin Vesely, o vídeo é uma verdadeira façanha: feito em apenas um take em uma espécie de peça teatral, o video conta uma narrativa à la High School Musical, cheia de coreografias e amor adolescente. Tudo bem ensaiado e coreografado por Ian Eastwood, com cenários elaborados e uma enorme equipe pra dar luz a um dos mais cativantes vídeos do ano.

 

18. Thundercat: “Them Changes”

Há poucas coisas nesta vida mais devastadoras do que não ser mais capaz de prosseguir a sua paixão. Neste vídeo surreal, a “invalidez” assume um significado literal. Um samurai sem braços – perdidos tragicamente em uma luta – sente o peso da invalidez, forçado a ser um fardo, incapaz até de desligar o controle remoto da TV.

17. Kanye West: “Only One” [ft. Paul McCartney] (Spike Jonze, Dir.)

A vulnerabilidade retratada no vídeo “Only One” é surpreendente. Embora Kanye West esteja acostumado com  grandiosidade, ele optou por um filme caseiro dirigido pelo vencedor do Oscar Spike Jonze, para mostrar o amor de um pai por sua filha. E o olhar adorável em seu rosto diz tudo: o amor é reciproco.

16. Kalle Mattson – “Avalanche”

O Vídeo do cantor Kalle Mattson para a faixa “Avalanche” é o sonho de qualquer  fã de música. O cara simplesmente recria 35 álbuns famosos abrangentes do rock. Começando pelo antológico Ramones e termina no clássico e insdispensável Aladdin Sane do camaleão do rock, David Bowie. Você consegue identificar todos?

15. Halsey – “New americana” (Jodeb, Dir.)

No clipe,  assume o papel de líder que se rebela contra o governo. Mas para isso ela paga um preço. A nossa heroína, no estilo Katniss Everdeen e Tris Prior, em busca de vingança e ânsia por liderança, é capturada e regada com gasolina para ser queimada viva, mas no último minuto, consegue ser libertada pelo seu exercito e, juntos, partem para a vingança final épica. A direção é de .

14. Royal Blood “Out Of The black” (David Wilson, Dir.)

Em “Out Of The Black” dos ingleses do Royal Blood, o diretor David Wilson se junta ao animador Christy Karacas (de Superjail! Fame) para misturar e triturar os dois universos de uma forma extraordinariamente eficaz.

 

13. Julian Casablancas + The Voidz – “Human Sadness” (Dir. Warren Fu & Nicholaus Goosen)

Um dos clipes mais bizarros e épicos lançados em 2015.  construíram sob a direção de  e Nicholaus Goosen, um curta poderoso e impactante sobre os mistérios da loucura e do mal.

12. Bjork – Family

No clipe, Björk faz a sua própria versão da criação da vida e nos leva a uma viagem alucinante de metamorfose, desde um organismo mineral até o seu nascimento em forma humana. “Family” é uma versão em movimento de uma das capas do disco Vulnicura. Que mulher criativa!
 

11. Drake “Energy” (Fleur & Manu, dir.)

O louco clipe de “Energy” apresenta Drake interpretando um desfile de celebridades e figuras públicas, incluindo Oprah, Justin Bieber (em seu famoso anuncio de cuecas),  (no vídeo de Wrecking Ball), Kanye West (no vídeo de “Bound 2 “), Rob Ford, LeBron James e o Presidente Obama.
 

10. Run the Jewels: “Close Your Eyes (And Count to Fuck)” (A.G. Rojas, Dir.)

o Run The Jewels (formado pela dupla Killer Mike e El-P), apresenta uma briga épica e desgastante entre um policial e um homem no tenso e hipnotizante videoclipe deste clássico do hip-hop atual. Mesmo que não aconteça muita ação na tela, o vídeo revela-se uma crítica à violência racial nos Estados Unidos.

09. Rihanna “Bitch Better Have My Money” (Robyn Rihanna Fenty, Megaforce, dir.)

Hit de 2015,  e um grupo de amigos sequestram a esposa de um contador (interpretado por Mads Mikkelson) e a tortura até que ele decide pagar o resgate. A premissa do vídeo parece ter sido inspirada em um caso real: Em 2009, Rihanna levou um ex-contador ao tribunal, depois de perder milhões e quase ir à falência.
 

08. Grimes: “Flesh Without Blood/Life in the Vivid Dream” (Grimes, Dir.)

É incrível a capacidade de Grimes de criar peças audiovisuais fabulosas e hipnotizantes mesmo sendo simples. Para “Flash Without Blood”, primeiro single do seu quarto disco de estúdio, ArtAngels, a canadense repete a fórmula non sense e sem roteiro dos clipes anteriores e nos entrega um dos mais deliciosos clipes de 2015.

07. FKA twigs: “Glass & Patron” (FKA twigs, Dir.)

Dirigido pela própria artista, o clipe inicia com Tahliah Barnett dando à luz um grupo de dançarinos, que dá lugar a uma interessante “batalha de dança mais épica de todos os tempos”, segundo um comunicado de imprensa.

06. Stromae “Quand C’est” (Xavier Reye, dir.)

A música (que pode ser traduzida em português como “Quando é?”)  “explora a dor causada e o inevitável medo do câncer”, de acordo com um comunicado de imprensa. O vídeo é sombrio e perturbador. No entanto,  – impressionante no seu melhor desempenho em clipes – com movimentos de dança contorcidos, distorce cada cena para frisar o lado sombrio da doença. A silhueta de  literalmente resplandece com um brilho apaixonante e sobrenatural, ofuscando todos os demais elementos em cena. O resultado final é um dos mais belos e glamurosos clipes de 2015, apesar da atmosfera dark por trás de cada frame.
 

05. Vince Staples: “Señorita” (Ian Pons Jewell, Dir.)

A representação deste clipe niilista de um pregador tatuado pregando o futuro é sinistro já no início. Mas o pior ainda está por vir: antes mesmo de chegar ao final, é revelado uma família branca alegre sentada atrás do vidro a assistir a carnificina. Como tudo que Vince Staples fez em 2015, o clipe é brilhantemente contundente, firme e impossível de ignorar.

 04. Tame Impala “The Less I Know The Better” (Canada, dir.)

Bananas, macacos, lideres de torcidas e esportistas. Parece uma mistura de Glee com King Kong, mas é apenas o espetacular clipe de “The Less I Know The Better” do Tame Impala. Com um ritmo ágil e belos closes, o clipe transforma a faixa mais pop de Currents em um desfile visual de tirar o fôlego. Duvido que você não queria repetir a dose.
 

03. David Bowie: “Blackstar”

Ao longo de 10 minutos, aparecem em cena o crânio de um astronauta e uma mulher com uma cauda, alguns dançarinos sinistros, espantalhos e um ritual. E claro, David Bowie gesticulando como um assombroso boneco de marionete. Enquanto os detalhes da trama são um mistério, Bowie e diretor Johan Renck se juntam para criar algo que pode ser tão emocionante como uma história, um humor negro e tangível. Este é o tipo de ruptura visual que irá acender a parte oculta do seu subconsciente, quer você goste ou não.

02.M.I.A. “Borders” (M.I.A., dir.)

O mais recente e impressionante video da M.I.A. chegou duas semanas após os terríveis ataques terroristas em Paris que acenderam questões preocupante a respeito da crise de imigração internacional no mundo. “Borders” é a representação inflexível das duras realidades da guerra. E, no entanto, o clipe permanecerá triunfante, uma impressionante exibição de espírito coletivo da humanidade para superar os vastos oceanos e cercas mais altas.

01. Kendrick Lamar “Alright” (Colin Tilley, dir.)

2015 foi o ano de Kendrick Lamar, o rapper de Compton lançou a obra-prima To Pimp A Butterly, lançou o iconico videoclipe de “Alright”. Em um belo monocromático, Lamar denuncia a violência policial contra os negros, um tema muito abordado durante o ano no clipe mais importante de 2015.

João Paulo Porto
João Paulo Porto

Fundador do 1001 Videoclips e louco por The Smiths