Anúncio com Código

Para Ver Antes de Morrer: #154. OK Go | Needing/Getting

Para Ver Antes De Morrer | 07 out 12 - por João Paulo Porto
okgo_bananarepublic

O OK Go há um bom tempo, tenta repetir a fórmula de sucesso do seu primeiro fenômeno, o videoclipe das esteiras, com resultados mornos, hora interessantes, mas sem o boom que acompanhou “Here It Goes Again”. Neste vídeo, lançado em fevereiro de 2012, eles resolveram o problema com uma ideia inédita e inteligentemente elaborada.

No videoclipe, um carro totalmente equipado com braços pneumáticos e dispositivos é conduzido através de um caminho de rali pelo vocalista Damian Kulash, com os membros da banda com passageiros. O mais interessante de tudo isso é que os instrumentos da música são tocados pelo carro em movimento, enquanto este passa pelo caminho repleto de guitarras, pianos, frascos de vidros e tambores especialmente arranjados em perfeita sincronia para executar a melodia da canção, exatamente como é em estúdio.

A inspiração do videoclipe veio a partir do conceito de outro vídeo incrivelmente inteligente: “This Too Shall Pass”, onde a melodia se encaixa perfeitamente com alguns adereços de cena. O vídeo foi patrocinado pela Chevrolet que forneceu o seu Sonic Chevy. Seria a primeira vez que um vídeo estrearia durante o Super Bowl, o maior evento esportivo dos EUA, em 5 de fevereiro com uma versão editada. O diretor responsável pelo projeto foi Brian L. Perkings, o mesmo de “This Too Shall Pass”.

Kulash queria apresentar um novo conceito, onde os objetos de cena seriam a fonte da música durante a gravação, mas reconheceu que esse investimento precisaria de patrocínio forte e a Chevrolet topou o desafio, já que a mesma estava à procura de novas ideias de publicidade, garantindo à banda a gravação do vídeo.

Embora, essa união pudesse sujar a imagem da banda, que poderia sofrer reação dos fãs ao querer se “vender” à interesses comerciais, isto não ocorreu, porque o vídeo manteve o produto como uma “co-estrela” ao lado da banda, em vez de enfatizar demais a marca e também não houve por parte da fabricante, marketing excessivo ou controle de imagem que pudesse danificar a reputação do grupo.

Kulash teve aulas com dublês durante três dias, pois não queria utilizar dublês durante as filmagens. O videoclipe foi filmado em um curso de duas milhas de comprimento em um rancho entre Los Angeles e o deserto de Mojave, na Califórnia, durante quatro dias. Foram utilizados para as filmagens mais de 1100 instrumentos caseiros e reais, incluindo 55 pianos verticais e 288 guitarras elétricas ligadas a 66 amplificadores. A banda desenvolveu um programa de computador que iria ditar a velocidade que Kulash teria que dirigir o carro através do curso para combinar com o ritmo da música. As velocidades variavam entre 17 e 35 quilômetros por hora em várias seções do curso. Este foi auxiliada com a utilização de um metrônomo dentro do carro e uma afinidade de aparelhos eletrônicos auxiliadores.

O vídeo, colocado no YouTube após ser exibida durante o Super Bowl, recebeu 5 milhões de visualizações no mesmo dia e ultrapassou 13 milhões de visitas em menos de duas semanas.

O que chamou atenção neste vídeo é a abordagem diferente, a qualidade dos efeitos e o “como eles fizeram isso?” que segue após o primeiro segundo de visualização. O trabalho deu à banda uma boa reputação apesar de sua música ainda continuar chatinha.  Eles conseguem compensar a falta de criatividade musical com clipes divertidos e empolgantes como este, que deu um trabalho daqueles para ficar pronto, porem com resultados espetaculares.

Diretor: Brian L. Perkings | Ano: 2012

João Paulo Porto
João Paulo Porto

Fundador do 1001 Videoclips e louco por The Smiths