Mostre Seu Clipe: O futurístico clipe “Musa Robótica” do Seu Santto

Cenário Nacional, Mostre Seu Clipe | 21 fev 19 - por João Paulo Porto

O cantor baiano Seu Santto nos apresenta “Musa Robótica”, um clipe com cara de super-produção, inspirado no clássico Tempos Modernos de Chaplin, como também na obra Amor Líquido de Bauman e no atemporal Metrópolis do alemão Fritz Lang

Segundo o músico, ele “quis desenvolver uma obra artística que representasse a influencia da revolução industrial na vida humana”. No clipe, vemos uma “musa robótica” atormentando nosso cantor em um ambiente futurístico. O clipe talvez esteja prevendo um possível cenário onde homens e máquinas vão se relacionar da forma mais natural possível. 

“Ao rever Chaplin, com seu genial Carlitos como trabalhador da fábrica, em movimentos repetitivos que simbolizam a mecanização do homem como parte de uma engrenagem, as ideias fluíram e nasceu a canção…que deu origem a esta obra audiovisual”.

A música faz parte do EP Canções Líquidas,  recém lançado nas plataformas digitais.

A direção é de Yve Salazar

Assista abaixo: 

Para conhecer mais Seu Santto, segue abaixo o Release do cantor baiano:

A origem: Nascido em um dos centros de efervescência cultural de Salvador na Bahia, Seu Santto vivenciou os movimentos de rua nos idos anos 80 e 90. Conheceu, através do som dos alto-falantes de seus vizinhos, o samba-reggae e todo o repertório do Olodum. Nesta mesma época, ainda criança, também sofreu influência das canções tocadas ao violão por seu pai, que iam de João de Barro ao Noite Ilustrada. De Michael Jackson ao Rock dos anos 80, teve como marco na memória o disco Cabeça Dinossauro e como ídolo maior o titã Arnaldo Antunes.

A influência maior: A bossa nova e o tropicalismo. Ao assistir o especial de fim de ano da TV Globo, em dezembro de 1992, João e Antônio, viu um senhor tocando violão, como quem batucasse em suas cordas enquanto passava de acorde em acorde. Depois quando escutou o disco Unplugged MTV de Gilberto Gil, foi puxado pelo universo gilbertiano de onde nunca mais saiu. E, logo mais, através de um amigo músico da cena underground de Salvador, em uma das conversas musicais, foi apresentado a uma permanente tempestade tropicalista chamada Tom Zé e aos seus discos No Jardim da Política, cheio de irreverência e crítica, e ao genial Estudando Samba.

O ofício da canção: Na adolescência aprendeu a tocar violão e começou a escrever canções. E hoje, com influências musicais diversas, suas criações se apresentam com roupas de ritmos diferentes e com as cores e liberdade tropicalistas.

Artista de nascimento, que autodefine-se um compositor que canta, lança-se Seu Santto, com amor no coração, sob a benção de todos os santos, ao mundo da canção

João Paulo Porto

Criador do site 1001 Videoclips e apaixonado por The Smiths.