Anúncio com Código

Para Ver Antes de Morrer: #165. Madonna | American Life

Para Ver Antes De Morrer | 09 nov 12 - por João Paulo Porto
madonna madonna american life

Depois dos estouros Ray of Light (1998) e Music (2000), os fãs da Madonna poderiam esperar um disco novo fabuloso, porem, o que se sucedeu foi um álbum raquítico e mal sucedido nas paradas. A dona da banca estava limitada e não havia aprendido nada de novo em American Life de 2002. No entanto, como de praxe, ela adora plantar a sementinha da confusão, desta vez o alvo foi o governo Bush e a guerra do Iraque, iniciada em meados daquele ano e que repercutiu em todo mundo.

Madonna-American-Life-Photoshoot-madonna-19555069-466-700Mais uma vez a ferramenta utilizada para mexer na ferida norte-americana foi o videoclipe. Assim como em “Like A Prayer”, quando a igreja católica se sentiu extremamente ofendida, agora Madonna atacou o império norte americano com o seu American Way of life no videoclipe mais que chocante de “American Life”.

A moça que cresceu nos subúrbios de Michigan, juntamente com o seu cúmplice, o diretor Jonas Åkerlund (que havia trabalhado com Madonna nos vídeos musicais de “Ray of Light” e “Music”), desenvolveram um provocante clipe onde a principal característica é um macabro desfile de moda.

 

No clipe, filmado na primeira semana de fevereiro de 2003 nos estúdios Los Angeles Center, em Los Angeles, Califórnia, podemos ver homens e mulheres vestidos como soldados em um desfile de moda, intercaladas com cenas de Madonna cantando em frente a cenas de explosões. Durante o segundo verso, ela é mostrada em um banheiro feminino com outras mulheres preparando-se para invadir o desfile, com Madonna escrevendo “Protect Me” na parede. No segundo refrão, crianças do Oriente Médio são vistas andando na passarela, sendo intimidadas por soldados. Então, Madonna chega no desfile dirigindo um Mini Cooper, e em seguida, dança em cima do carro com seu grupo, e depois, ela começa a jogar água sobre o público e inúmeros fotógrafos usando um canhão de água. No final do vídeo, Madonna freneticamente sai do desfile entre a plateia e joga uma granada de mão no colo de George W. Bush, que era interpretado por um sósia.

VEJA TAMBÉM: 0015. Madonna | Like A Prayer

 

Madonna-American-Life-Photoshoot-madonna-19555037-869-700O resultado é extremamente chocante e a impressão que passa é que a cantora estava apenas tentando desabafar sua raiva contra o governo Bush e o estilo fútil norte americano de consumismo desenfreado (na letra ela ironiza o tal “sonho americano”). Ela tem o privilegio de poder se expressar em seu trabalho sem algemas, porem, a sua liberdade custou caro: o videoclipe teve uma recepção extremamente negativa e foi cancelado como respeito aos soldados que estavam em campo de guerra, como declarou a própria Madonna:

Decidi não lançar meu novo vídeo. Ele foi filmado antes da invasão do Iraque começar e eu acredito que ele não seja apropriado para este momento. Devido ao estado volátil do mundo, e por sensibilidade e respeito às forças armadas, que eu apoio e rezo por elas, eu não quero correr o risco de ofender qualquer pessoa que possa interpretar erroneamente o significado deste vídeo.”

Depois de cancelar o lançamento do vídeo original, Madonna, em seguida, lançou uma versão editada que estreou em 16 de abril de 2003, no canal VH1. Esta versão traz Madonna cantando em frente às bandeiras de todos os países do mundo. Veja.

“Eu me sinto sortuda por ser uma cidadã americana por vários motivos. Um deles, é o direito de me expressar livremente, especialmente no meu trabalho. Há histórias sobre meu próximo vídeo “American Life” na mídia. Eu não sou anti-Bush. Eu não sou pró-Iraque. Eu sou pró-paz. Eu escrevi uma canção e criei um vídeo que expressam meus sentimentos sobre nossa cultura, os valores e as ilusões de que muitas pessoas acreditam que é o sonho americano: a vida perfeita. Como artista, eu espero que isto provoque pensamento e diálogo, mas não estou esperando que todos concordem com meu ponto de vista.”

De alguma forma ou outra, essas circunstancias encontram a abertura ideal para apresentar ao mundo de forma clara e limpa a realidade dos conflitos políticos, culturais e do mundo em geral. E claro, muito mais fácil e abrangente do que o jornal. Dá o que pensar! Com “American Life”, a artista levou seus vídeos musicais para um nível diferente, concentrando-se em guerra, em política e na invasão do Iraque, que ainda não havia começado.

Diretor Jonas Åkerlund | Ano: 2003

 

João Paulo Porto
João Paulo Porto

Fundador do 1001 Videoclips e louco por The Smiths