Anúncio com Código

Quem são os cabeças por trás dos clipes mais legais do Kanye West

Listas | 28 ago 16 - por João Paulo Porto
kanye-west

Kanye West nunca produz um trabalho medíocre, e não importa se você o ama ou odeia, o cara é um gênio. O clipe mais recente do rapper, o polêmico “Famous”, do album The Life of Pablo, atraiu a atenção da mídia ao mostrá-lo na cama com figuras de cera de Kim Kardashian, Donald Trump, Anna Wintour, , Chris Brown, Ray J, Taylor Swift, Caitlyn Jenner, Amber Rose, Bill Cosby e George Bush, todos nus (e muito realistas).

A obra foi inspirada no trabalho do pintor realista Vincent Desidério. Extraordinário e diferente, o clipe mostra que West sabe utilizar dos meios de comunicação a favor dele.

Embora não há nenhuma dúvida que “Famous” seja um dos seus videos mais chocantes, Yeezy não mede esforços para chamar gente de peso para gravar seus clipes musicais.

Aqui estão cinco dos melhores diretores dos vídeos de Kanye que misturam música com a arte de forma primorosa:

1. Bill Plimpton em “Heard ‘Em Say” (Part 2):

Este vídeo foi co-dirigido pelo animador e artista gráfico norte-americano Bill Plympton, cujo trabalho Yeezy admira desde que criança. Plympton foi capaz de colocar o seu toque dos desenhos animados no vídeo de Kanye, que mostrava o rapper como um motorista de táxi que pega passageiros, incluindo uma criança e sua mãe. No clipe, West é representado como um jovem rapaz.

Suas primeiras ilustrações foram publicadas nos jornais The New York Times e The Village Voice. Logo ganhou popularidade e seus traços apareceram nas revistas VogueRolling StoneVanity FairPenthouse e National Lampoon. Seus curtas – breves comentários sobre o estilo de vida americano – ganharam grande destaque na MTV. Bill ganhou maior notoriedade por desenhar todos os frames de seus filmes sozinho. Plympton já lançou mais de 26 curtas, 5 longas e alguns livros.


2. Takashi Murakami em “Good Morning”

Takashi Murakami é um prolífico artista japonês nascido em Tóquio, cujo trabalho abrange tanto a pintura quando as mídias digitais. Também conhecido como Mr. DOB (alter era criado em 1993), começou então a ser reconhecido dentro e fora do Japão pela sua particular síntese entre a arte tradicional e contemporânea japonesa e a arte pop norte-americana. Ele cunhou o termo superflat, que descreve tanto a estética característica da tradição artística japonesa e a natureza do pós-guerra a cultura e a sociedade japonesa.

Com a ajuda do artista Takashi Murakami, o Dropout Bear, mascote de Kanye tinha seu próprio filme de animação que acabou em vários museus, incluindo o Museu de Arte Contemporânea de Los Angeles e do Museu de Brooklyn, em Nova York. A história narra Dropout Urso superando vários obstáculos em um esforço para alcançar seu campus universitário em tempo para sua cerimônia de formatura.


3. Marco Brambilla em “Power”

Nascido em Milão, na Itália, Marco Brambilla é um artista conhecido por suas recontextualizações elaboradas de imagens populares. em outras palavras, o cara é expert em criar colagens de filmes espetaculares que a Vanity Fair já chegou a elogiar como “obras-primas de sobrecarga visual.”

Sem dúvida, um dos vídeos mais artísticos de Kanye, o hit de 2010 foi trazido à vida pelo italiano por meio de complexas técnicas de montagem de seu vídeo “Civilization” (instalado nos elevadores do Hotel Standard, em Nova Iorque). Marco Brambilla ajudou a descrever a mensagem da música através do que Kanye chamou de uma “pintura em movimento.”


4. Hype Williams em “Heartless”

Por mais de 20 anos, o diretor de videoclipes foi o responsável por transformar clipes em fantasias de quatro minutos para os maiores nomes do Rap e R&B. Com uma lente olho-de-peixe – sua marca registrada – em uma mão e uma mala de dinheiro na outra, o nova-iorquino continua a ser o “cara”  que consegue os mais altos orçamentos para gravar seus clipes mirabolantes. O legado opulento construído por Hype é espetacular e sua videografia é comparada apenas à de grandes diretores de videoclipes como Michel Gondry e .

Kanye e Hype já colaboraram em vários projetos, mas “Heartless” era a primeira animação em conjunto, e deu um aceno para algumas das mais famosas obras de arte da cultura pop, incluindo latas de sopa Campbell de Andy Warhol.

VEJA TAMBÉM: Grandes Diretores de Videoclipes: Hype Williams


5. Vanessa Beecroft  em “Runaway”

O trabalho da italiana Vanessa Beecroft aborda questões conceituais, bem como preocupações estéticas. Sua arte é muitas vezes em grande escala e envolve modelos femininos ao vivo, frequentemente nus. Em suas performances, gravações de vídeo e fotografias são feitas, para ser exibido como documentação das performances, mas também como obras separadas de arte. Cada performance é feita para um local específico e, muitas vezes faz referência as associações políticas, históricas, sociais ou do local onde é realizada. O trabalho de Beecroft é enganosamente simples em sua execução, provocando perguntas sobre a política de identidade e voyeurismo na complexa relação entre espectador, modelo e contexto.

Beecroft foi um dos cérebros por trás da direção de arte de seu curta “Runaway” do álbum My Beautiful Dark Twisted Fantasy. Na trama, Kanye se apaixona por uma supermodelo Phoenix e tenta inseri-la no mundo humano, logo descobre que ela não pode ficar com ele porque, bem, ela é uma Phoenix. A história é contada através de uma série de cenas visualmente deslumbrantes em um mundo mais tradicional, provavelmente, serviu como suporte  para todas as suas músicas presentes no video.

João Paulo Porto
João Paulo Porto

Fundador do 1001 Videoclips e louco por The Smiths