Anúncio com Código

Grandes Diretores de videoclips | Mark Romanek

Diretores | 01 nov 13 - por João Paulo Porto
lañcañ0905ñromanek

Mark Romanek, um gigante do audiovisual, iniciou a carreira como segundo diretor assistente de Brian De Palma (que dirigiu os sensacionais Os Intocáveis e Missão: Impossível) se tornar um dos maiores diretores de videoclipes de todos os tempos. Alguns de seus trabalhos podem ser considerados obras-primas do formato por reunir prolíficos elementos cinematográficos e estética impecável, como no impactante e controverso “Closer”, do , de 1994. Neste trabalho, é possível se horrorizar e se encantar ao mesmo tempo com as imagens poderosas que se converteram em seu clipe mais elogiado e cultuado. Contudo, “Closer” recebeu diversas críticas negativas devido às fortes imagens perturbadoras e repugnantes. Alguns o acusaram de ser um vídeo perturbador, demoníaco ou demente. Controvérsias à parte, “Closer” revelou-se o seu primeiro grande clássico.

rominak650

Em 1996, o diretor receberia o primeiro Grammy (de três que receberia em toda a carreira – nenhum diretor chegou perto) por “Scream”, o famoso clipe “mais caro do mundo” (custou a bagatela de incríveis 7 milhões de dólares). Estrelado pelo superstar   e sua irmã Janet, “Scream” apela por efeitos especiais incríveis e encantadores que desafiavam a lei da gravidade. Seu segundo Grammy seria dado, dois anos depois, pelo clipe de “Got Till It´s Gone”, também da cantora americana,.

Em 2002, para o clipe de “Cochise”, do Audioslave, uma queima de fogos prolongada atiçou os nervos dos americanos pós 11 de Setembro. No vídeo, uma grande explosão de fogos de artificio chamou a atenção de moradores vizinhos de onde havia sido filmado e diversas chamadas policias foram registradas: os moradores acreditavam se tratar de um ato terrorista.

mark_romanek_getty_225O terceiro Grammy de sua carreira veio com o mais belo registro pessoal de um artista. Em 2002, Johnny Cash, ícone do Country Music norte americano, regravou um cover de “Hurt”, do Nine Inch Nails, para um álbum de versões e emocionou o mundo com um belíssimo clipe, muito íntimo e jamais feito na história do audiovisual. Já debilitado e muito velho, o cantor poeticamente conseguiu, em um vídeo de 4 minutos, se expressar profundamente sobre todos os erros que cometeu em sua perturbada vida, quietamente cantando em sua casa, entre mobílias antigas e intercaladas com imagens de Cash ainda jovem, contrastando com a fragilidade de sua saúde visível no clipe. O trabalho ainda rendeu à Romanek sete nomeações ao MTV Video Music Awards, ganhando na categoria de “Melhor Cinematografia”.

Outros trabalhos que também se destacaram em sua prolifica carreira: “Free Your Mind” (En Vogue), “Are You Gonna Go My Way” (Lenny Kravitz), “Rain” (Madonna), “Devil’s Haircut” (Beck), “99 Problems” (Jay-Z) and “Criminal” (Fiona Apple). Alguns desses trabalhos chegaram a receber diversas nomeações VMA, e dois deles, o já citado “Closer” e “Bedtime Story”, da Madonna fazem parte permanente da coleção do museu de arte moderna de Nova Iorque. Seu mais recente videoclipe é o simples “Speed Of Sound”, do Coldplay de 2005.

Assista ao doc The Work Of Mark Romanek (disponível em inglês)

Confira a playlist com os principais clipes da carreira de Mark Romanek

João Paulo Porto
João Paulo Porto

Fundador do 1001 Videoclips e louco por The Smiths