Anúncio com Código

Para Ver Antes de Morrer: #226. Eminem Feat. Dido | Stan

Para Ver Antes De Morrer | 24 jan 14 - por João Paulo Porto

Como dois opostos extremos se saíram tão bem nessa colagem inesquecível de “Stan” com “Thank You”? De um lado estava Eminem, o prodígio rapper, branco e conhecido por suas letras consideradas homofóbicas, racistas, misóginas e sexistas. Do outro, a doce e meiga ex-faithless Dido, mais angelical, impossível. Personalidades tão distintas interpretaram a bela e a fera num clipe inesquecível que mostra o verdadeiro eu por trás do culto às celebridades.

Picture 1

O videoclipe foi dirigido por Phil Atwell e Dr. Dre e filmado na Califórnia e concorreu a diversos prêmios importantes. O enredo se desenrola em torno da história narrada na canção. “Stan” conta uma história de um fã fictício chamada Stanley “Stan” Mitchell (interpretado pelo ator canadense Devon Sawa), que é obcecado por Eminem e escreve para ele, sem receber uma resposta. Na cena, ele escreve cartas para Eminem. A cada verso, ele se torna cada vez mais obcecado pelo cantor, e quando não há resposta, ele torna-se mais irritado. Ele finalmente cria uma gravação de voz de si mesmo dirigindo seu carro em um lago, com sua namorada grávida (interpretada pela própria Dido) no porta-malas. Um acidente trágico na estrada, onde o carro se afunda na água, acaba por encerrar a vida de ambos. Eminem tentar escrever para Stan, mas já era tarde demais, ele já tinha ouvido falar sobre a sua morte no noticiário.

StanA versão original do clipe foi censurada e mostrava Dido amordaçada no porta-malas do carro. Na versão completa de 8 minutos, é possível ouvir Stan citar sua namorada com termos sujos como “cale a boca cadela”. Na versão sem censura, Stan é mostrado bebendo ao volante do carro antes de mostrar Dido lutando no porta-malas do carro. Ela consegue remover a fita adesiva de sua boca e luta para respirar. A censura também cortou as cenas onde mostram Stan bebendo ao volante.

A impressionante visão dos diretores para uma história não muito fictícia, ficou magnifica em alguns detalhes sutis (a drama da rejeição por ambas as partes, Stan e Dido e a impotência involuntária de Eminem), porem a violência pelo qual foi tão criticada tornou-se discreta para os padrões audiovisuais modernos. A visão do tolo agressivo e desequilibrado que descarrega o seu enfado em uma crueldade sem restrições é assustadoramente real, assim como a questão principal da música.

Com um roteiro original e inteligente, “Stan” permanece como um marco cultural e muito mais vigoroso que muitos clipes derivados.

Direção: Phil Atwell & Dr. Dre | Ano: 2000

João Paulo Porto
João Paulo Porto

Fundador do 1001 Videoclips e louco por The Smiths