Anúncio com Código

Para Ver Antes de Morrer: #259. Depeche Mode | Wrong

Para Ver Antes De Morrer | 05 out 14 - por João Paulo Porto
depeche-mode-promo-2013

Indiscutivelmente tão bom quanto , o   em 2009, havia nos entregue um videoclipe poderoso e impactante com “Wrong”. São muitos os motivos que levam esta pequena obra de arte a se enquadrar no perfil dos 1001 videoclips para ver antes de morrer.

Primeiro, o diretor responsável pelo projeto é Patrick Daughters, o cara por trás de dois dos melhores clipes dos últimos anos:  da  e  da Yeah Yeah Yeahs.  Segundo: o clipe consegue prender do inicio ao fim com uma carga de adrenalina capaz de te envolver por completo como se estivesse assistindo a um filme de suspense na tela grande. Terceiro e último: “Wrong” é um das melhores canções do trio há anos e como muitas grandes canções como , ou , mereceu um clipe à altura capaz de deixar uma impressão indelível.

48748700-jpeg_preview_largeO tecladista Andy Fletcher se refere a esta canção como “um antídoto impróprio para o pop chiclete vigente naquele momento”. A música liricamente é sobre “reflexões sobre uma vida de erros, crimes e más decisões.” e alcançou relativo sucesso nas paradas. O clipe recebeu uma nomeação no Grammy de melhor video de música e seria eleito um dos melhores do ano pelas principais revistas e sites de música.

 “Wrong” foi filmado em Dezembro de 2008 e estreou em 20 de Fevereiro de 2009. ele retrata um Ford Crown Victoria descendo ladeira abaixo completamente desgovernado, aparentemente sem condutor no volante. Na verdade, ele está caído sobre o banco da frente, inconscientemente (quem interpreta é o baterista do Liars Julian Gross). Quando o carro bate em outro carro (mas continua rolando), o homem é acordado. Enquanto ele tenta desesperadamente parar o veículo, torna-se evidente que ele está amarrado e amordaçado com fita adesiva e com o rosto coberto por uma máscara de latéx super assustadora. (máscaras sempre foram assustadoras para este homem que escreve aqui).

8846ffefUma das cenas mais inesquecíveis mostra a banda observando misteriosamente o carro descer desgovernado. O sujeito foca o olhar em Dave Gahan e os outros que o observam indiferentes como se fossem cúmplices.  O carro continua desgovernado e atinge um pedestre, latas de lixo, carrinhos de compras, e cones de trânsito. Um veículo da polícia começa a persegui-lo.

O final eletrizante, no qual uma caminhonete branca atinge violentamente o carro na lateral, leva-o a um impasse. Pois é quando o homem finalmente consegue libertar seus pulsos e remover a máscara. No entanto, parece ser tarde demais.

Aqui, Daughters combina seqüências eletrizantes e enigmáticas com uma estética intrigante e de certa forma, não muito popular para os padrões audiovisuais, para criar um suspense exultante e até mesmo vertiginoso. No entanto os 3 minutos de duração parecem incomodar pela velocidade em que tudo acontece, mas ao mesmo tempo podem se tornar mais emocionantes do que a maioria dos filmes de suspense de Holywood que eu já assisti.

Em entrevista ao site Pitchfork, Daughters confessa que tinha outras ideias para o final abrupto: Sua idéia original era muito mais ambiciosa. O personagem principal iria entrar em um grande acidente na metade do video, em vez de no final e não iria morrer. Uma ambulância viria para socorrê-lo, mas o carro iria começar a rolar novamente até um rio. Porém, devido ao orçamento limitado, não foi possível levar a ídeia até o final.

BLD_DepecheMode_Wrong320aTudo aqui é palpável, lógico e muito bem editado. A iluminação parece incrementar poesia a cada cena. E a edição caprichada demostra o talento deste diretor promissor. Apesar da violência, o diretor jurou que ninguém se feriu gravemente (há uma parte no vídeo onde um cara aleatório é atropelado pelo pára-brisa e rola em cima do carro).

Perguntado sobre o porquê deste video ser o oposto de “1234”, o diretor respondeu: “Se eu tiver que fazer um vídeo realmente fodido, que seja para essa música.”. Parabéns, você conseguiu!

Diretor: Patrick Daughters | Ano: 2009

João Paulo Porto
João Paulo Porto

Fundador do 1001 Videoclips e louco por The Smiths