Anúncio com Código

Para Ver Antes de Morrer: #194. Beastie Boys | (You Gotta) Fight For Your Right (To Party!)

Para Ver Antes De Morrer | 20 jun 13 - por João Paulo Porto
fotos-música-23

A geração anos 80 lembra com espanto o clipe de três garotos brancos do Broklin de Nova Iorque cantando um rap de negro alucinante em “Fight For Your Right”.

1355315773_575670_10151891184755386_408712289_nOs Beastie boys (Michael Diamond (Mike D), Adam Yauch (MCA) e Adam Horovitz (Ad-rock)) foram a melhor surpresa daquela década desde o surgimento do imaculado The Smiths. E Licence To Ill (1986) seu debut, causou um impacto global como poucos discos e rapidamente alcançou o topo das paradas norte americanas, ao vender 750 mil copias só nas 6 primeiras semanas do lançamento. Fato que marcou a história do hip-hop, sendo o primeiro disco do gênero a alcançar tal proeza. Talvez a melhor estreia de um artista de todos os tempos.

Entre os grandes hits que estouraram, “Fight…” se tornou um hino das festas. A MTV – que havia sido acusada de racismo por não tocar música negra em sua programação, principalmente o hip-hop nova-iorquino (artistas como Rick James, Kool Moe Dee ou Roxanne Shante eram ignorados e os únicos artistas negros que realmente tinham algum espaço eram Michael Jackson e Lionel Ritchie, artistas cujas músicas eram muito pop de branco!) –  decidiu executá-la em sua programação, mas pediu ao grupo um videoclipe em duas semanas, ou então a canção seria esquecida de sua programação. Então Ric Rubin, produtor do trio, chamou o amigo e diretor de vídeos Ric Menello (que também era amigo de longa data do trio) para dirigir o trabalho. O mesmo convidaria Adam Dubin para co-dirigir (se algo desse errado, Monello poderia culpa-lo, revelou o mesmo em um livro). Realizaram a proeza em duas semanas.

Dubin conta no ótimo livro I Want My MTV – The Uncensored story of the music vídeo revolution, que a ideia para o vídeo surgiu em uma conversa quando Monello queria algo parecido com a cena de uma festa no clássico filme Bonequinha de Luxo (1961), de Black Edwards e estrelado pela atriz Audrey Hepburn, onde os convidados aprontavam todas em um momento de total descontração (click aqui para comparar as cenas).

A escolha de Monello, revelou Rubin, estava no fato que ele conhecia bastante sobre cinema mais do que muita gente e ele poderia criar um conceito audiovisual mais impactante que outros diretores de clipes.

A escolha de Monello, revelou Rubin, estava no fato que ele conhecia bastante sobre cinema mais do que muita gente e ele poderia criar um conceito audiovisual mais impactante que outros diretores de clipes.

No clipe os rebeldes destroem a casa (gentilmente cedida pelos pais do hospedeiro) jogam tortas na cara dos outros, chutam a porta do banheiro, entre outras travessuras – uma verdadeira rebelião infantil. Algumas ideias realmente foram roubadas do filme, como, por exemplo, um rapaz com um tapa-olho. Os diretores conheciam os Beastie Boys havia anos e sabiam o quão idiota eles eram, adoravam encher a cara nas festas, bolinar as garotas e quebrar tudo e depois saíam como se nada tivesse acontecido. A imagem ideal havia sido criada e o conceito do vídeo se encaixou perfeitamente nela.

Muitos elementos do clipe também pareceram ter sido influenciadas pelo clássico filme de terror O Despertar Dos Mortos (1978), de George A. Romero. Na fita, um motociclista de gangues se infiltra em um shopping center e ataca os zumbis com (entre outras coisas) tortas na cara! O mesmo também esmaga um aparelho de televisão com um martelo, assim como MCA faz neste vídeo.

Existem também inúmeras participações especiais, incluindo uma futura jornalista e fotografa da MTV norte-americana – e desconhecida na época – Tabitha Soren (ela revelou que o chantili usado nas tortas foi retirado do lixo  de um supermercado e o cheiro era insuportável, por isso, todos queriam se livrar dele jogando na cara dos outros), LL Cool J, os membros de uma banda punk Murphy’s Law, assim como o produtor dos Beastie Boys, Rick Rubin, que aparece usando uma camiseta do AC/DC e do Slayer.

2nt74184d89trna90zuktdmyr.455x351x18Monello confessou que havia sido entrevistado pela MTV na época, a respeito do videoclipe e ele contou mentiras absurdas, como por exemplo que o vídeo havia sido gravado na Franca! Um verdadeiro Enfant terrible!

Monello faleceu de ataque cardíaco aos 60 anos em 1 de marco de 2013 e embora ele não fosse um nome familiar, o diretor/roteirista foi um dos visionários mais influentes por trás do surgimento do hip-hop nos anos 1980 e contribui bastante para o sucesso do Beastie Boys com este videoclipe clássico.

Direção: Ric Menello & Adam Dubin | Ano: 1986

 

João Paulo Porto
João Paulo Porto

Fundador do 1001 Videoclips e louco por The Smiths