Para Ver Antes de Morrer: 0036. Aphex Twin | Come To Daddy

Anos 90 | 20 abr 18 - por João Paulo Porto

Após mais de duas décadas de seu lançamento, um deserto urbano repleto de crianças saqueadoras escondidas em máscaras assustadoras ainda causa arrepios.

Lançado em outubro de 1997, “Come To Daddy” – o som alucinante do brilhante Aphex Twin – chegava às lojas. A faixa-título era aterrorizante o suficiente para ganhar um videoclipe a altura – e ganhou.

A frase “Eu quero a sua alma”, nunca soou tão aterrorizante como neste clipe, cortesia do diretor Chris Cunningham, que pegou a música em si e a transformou em puro pesadelo. Uma velhinha caminha com seu cachorro por um conjunto habitacional em ruínas quando ela se depara com uma TV descartada transmitindo um rosto aterrorizante e distorcido. Imediatamente após, ela ser perseguida por uma gangue de crianças, cada uma mascarada com a fisionomia inconfundível de Richard D. James – AKA Aphew Twix – e apenas quando pensamos que ela escapou, há algo mais hediondo à espreita nas profundezas da propriedade.

Curiosamente, o clipe foi filmado na mesma propriedade do perturbante filme de Stanley Kubrick, Laranja Mecânica, de 1972. O diretor Chris Cunningham filmou o vídeo em Thamesmead, um conjunto habitacional dos anos 1960 no bairro londrino de Greenwich e Bexley. A arquitetura brutalista fizeram-lhe um destino popular para cineastas que procuram vibes “decadência urbana”, e Kubrick filmou muitas das cenas de sua controversa obra na área. Muito do “Come To Daddy” foi filmado em torno do Shopping Center Tavy Bridge, que foi demolido em 2007.

Cunningham começou sua carreira esculpindo cabeças protéticas para o diretor Ridley Scott, e seu trabalho em “Come To Daddy” se baseia mais em próteses do que em efeitos. As máscaras usadas pelas crianças no vídeo foram esculpidas em silício, usando fotos do rosto de James como referência. O efeito, como ficou óbvio, é profundamente sinistro.

A protagonista do vídeo passou por muita coisa. “Quando ela veio para o elenco, ficamos muito assustados, mas eu não acho que ela teria uma máquina de vento apontando para o rosto dela”, disse Chris Cunningham à Pitchfork. “Eu tive que desviar o olhar quando estávamos filmando a cena dela porque eu estava rindo muito”

Vinte anos depois, o clipe ainda é uma referência principalmente aferido a filmes de terror e a um cinema violento e visceral. E será sempre a personificação completa de um pesadelo.

Diretor: Chris Cunningham | Ano: 1998

João Paulo Porto

Criador do site 1001 Videoclips e apaixonado por The Smiths.