Anúncio com Código

Para Ver Antes de Morrer: #190. Alanis Morissette | Ironic

Para Ver Antes De Morrer | 10 jun 13 - por Thiago Murta Ferreira
alanis41024x768

A fotografia de cores quentes e uma localidade típica de inverno, como qualquer cidade natal da canadense Alanis Morrissette. O som se interage de forma, no entanto, “homogênea” em contraposto as extravagâncias e sensações solitárias de uma condutora de seu carro. Dirigindo em estradas congeladas e apreciando as paisagens no seu curto espaço interior. Ás vezes o clima do dia se mostra inapropriado para alguém que queira sair de casa.

O videoclipe apresenta a cantora saindo de um posto de gasolina e indo direto a um carro, um Lincoln Continental Mark V. Em dia de sol, com poucas geadas em volta. A música é calma e a interpretação segura da Alanis, facilita a conduzir bem o seu volante e interagir com os seus elos. – É o momento certo, na qual ela vai dá o sinal no retrovisor. Aparecendo a sua própria imagem no banco traseiro, mas com a roupa diferente e uma índole oposta do motorista. O som se torna fulminante e agitado. vamos assistir de forma mais ativa esse videoclipe.

-Ironic-alanis-morissette-14973511-720-480Outros dois pseudônimos, uma no carona e outra no banco traseiro, com diferentes aspectos nos estímulos e é claro nas cores das roupas. Os comportamentos se tornam únicos e divertidos em contraponto à letra da música que aparenta ser um papo de metáforas. É o refrão pungente e forte que ativa os hormônios da nossa cantora e fazendo com que ela sente na porta do vidro do passageiro (correndo o riso de encontrar-se com a coluna da ponte). A adrenalina é emitida com closes da cantora e cortes fechados de edição precisa – a escolha certa do diretor. “Eu não só vejo um videoclipe, eu vejo uma energia”, comenta o diretor Stéphane Sednaoui, “Alanis trás algo maravilhoso no desempenho de estar focada em dirigir um carro diante de um caminho qualquer”.

O sol começa a radiar como uma reflexão da tamanha libertinagem, ao ponto de não parar de seguir em viagem, sem um propósito de destino. O último suspiro aparece no refrão, na qual a motorista joga o seu gorro e começa a gritar até perder o fôlego, para então encontrar o alivio e paz. Por fim a música termina e, na estrada longa, a gasolina do carro não foi o suficiente para completar a jornada, a fazendo caminhar sozinha no frio do inverno, sem deixar rastros… mostrando que aquilo que aconteceu no seu carro era apenas suas loucuras passageiras ou eram ironias com os seus elos íntimos.

O diretor  pegou emprestado os takes como referências de um filme alemão chamado Wise Blood de 1979. – A diferencia é que no filme, a cena mostra o passageiro (protagonista) discutindo com um taxista.

Uma curiosidade: Existe um clipe alternativo feito na época por uma menina chamada Allison Rheaume. A versão (fofa) foi dirigida pelo seu pai David Rheaume. O desempenho Impressionou tanto a cantora com sua perfeição de interpretar todos os gestos que a produtora oficializou como o segundo videoclipe dessa música. [LINK]..

Alanis 2

Alanis Morissette é umas das cantoras que foram destaques nos anos 90. Não foi apenas com as suas atitudes nos palcos, mas também na sua obstinação e dedicação de chegar ao sucesso. No começo de carreira quando jovem, ela cantava músicas Pop em palcos de jogos de beisebol do Canadá, mas foi no Rock que Alanis encontrou seu amadurecimento, mudando de vez o mercado fonográfico com o álbum Jagged Little Pill de 1995, um fenômeno de vendas.

Sendo que o videoclipe ”Ironic” foi lançado em janeiro de 1996 e no mesmo ano concorreu a seis prêmios da MTV Video Music Awards, nas quais ganhou três. Uma frase marcante foi dita por ela quando recebeu o prêmio de Melhor Novo Artista: “Eu amo o vídeo que foi feito pelo diretor e respeito os trabalhos dos outros videoclipes dessa indicação… Eu desejo não concordar com o conceito de julgar a arte.” – Um argumento brilhante.

Direção: Stéphane Sednaoui | Ano: 1996

Thiago Murta Ferreira

Cursando em Turismo na (UNICID – SP), a sua disciplina que mais se dedica é área de Artes e Museologia. Na qual, pretende entrar na carreira de Design em breve. Desde criança assistia e anotava os seus videoclipes interessantes em um caderno. Um bom pretexto que se dedica no site é sobre videoclipes artísticos, do Rock ao Eletro underground dos anos 90 e até os dias de hoje. Sempre procurando as curiosidades relevantes das produções audiovisuais.