8 Clipes Incríveis Para Entender o Revival do Rock Psicodélico

Listas | 28 fev 17 - por João Paulo Porto

O rock psicodélico atingiu seu pico no final da década de 1960, quando bandas mergulhadas em LSD se tornaram populares em todo o mundo. O estilo musical está intrinsecamente relacionado com a experiência de drogas psicodélicas. O objetivo é separar o ouvinte e o músico da realidade, usando várias estruturas, formatos de música e uma incrível variedade de instrumentação. O Psych Rock usa influências do folk, do jazz e do blues clássica, reggae e sons indianos para criar sons alucinantes.

Os Byrds, Yardbirds e Kinks foram os progenitores, mas os Beach Boys e os Beatles também abraçavam o estilo em suas obras Pet Sounds e Sargent Pepper´s Lonely Heart Club Band, considerados por mais de um crítico sério os dois melhores álbuns de rock de todos os tempos. Em outubro de 1966, The 13th Floor Elevators foi a primeira banda a usar o termo “rock psicodélico” para descrever seu estilo musical. A música tornou-se onipresente na cena de São Francisco, com Jefferson Airplane, The Byrds e os poetas associados à contracultura.

Embora a música esteja intimamente ligada à década de 1960, todas as décadas testemunharam um renascimento do rock psicológico. San Francisco está de novo no centro da cena de psicologia, com os prolíficos Ty Segall e  John Dwyer liderando a trupe.

“Break A Guitar” – Ty Segall

Dono de um vasto acervo de obras autorais ou partilhadas entre diferentes projetos paralelos – como Fuzz, Sic Alps  e Ty Segall Band – No clipe caleidoscópico de “Break A Guitar”, Ty Segall recruta amigos famosos como Fred Armisen, Jack Black e Henry Rollins em uma viagem sonora e visual por universo paralelo onde pessoas e instrumentos flutuam por um buraco negro. O final apresenta o cantor explodindo a cabeça em frente a um laptop. A direção é de Matt Yoka, 

 

Thee Oh Sees – “The Lens”

Dwyer é um gênio inteligente conhecido por seus 19 fantásticos álbuns de estúdio com o Thee Oh Sees. O clipe de “The Lens” é uma viagem sonora calma e aconchegante e acompanha um tratamento visual colorido e inteligente, dirigido por Alex Theodoropulos.

 

Tame Impala – “Feels Like We Only Go Backwards”

Da Austrália, temos o mais importante expoente do rock psicodélico, Tame Impala. Uma das melhores criações do estúdio Blinkink, este clipe dirigido por Joe Pelling & Becky Sloan é feito com mais de mil folhas de plastilina feitas a mão, um verdadeiro exercício de invenção e técnica. Psicodélico, hipnótico e bonito, é o acompanhamento visual perfeito para a balada de Kevin Parker.

 

Boogarins – “Corredor Polonês”

Com álbuns elogiadíssimos pela crítica, a nacional Boogarins se transformou em uma das queridinhas dos gringos. O clipe de “Corredor Polonês” é uma crítica a exploração impiedosa do ser humano ao meio-ambiente. O rush de energia destilada nos traços dos desenhos fornece o glacê para uma investigação séria dos estragos possíveis de uma devastação ambiental mas também abre espaço para possíveis reflexões.  Com uma identidade visual bastante própria, a animação que Nei Caetano da Silva e Tom Yaniv fizeram para a banda Boogarins é tirar o fôlego.

 

Neon Indian – “Polish Girl”

O norte-americano Alan Palomo (AKA Neon Indian) pode luxar de unir com maestria a psicodélica dos anos 60 com o sintetizadores pegajosos que marcaram o pop dos anos 1980. Com estética meio Blade Runner, o videoclipe da “Polish Girl” é um ciber-punk leve que conta a história de uma jornada pessoal do protagonista. A direção é de Tim Nackashi em colaboração com The Creators Project, Neon Indian, e Mom + Pop Music.

 

Temples – “Colours To Life”

De todas as bandas do revival do rock psicodélico, os ingleses do Temples  traz muitos conceitos mágicos que o estilo ja deu à luz alguma dia. Algo que muitos bandas não conseguem hoje em dia. Mesmo se você assistir ao vídeo de “Colors To Life” sem áudio, o corte de cabelo no estilo Marc Bolan de James Baghaw e sua guitarra de 12 cordas criam uma estética visual importada diretamente de uma época em que bandas como The Byrds viviam o auge do estilo e o T. Rex estava apenas começando.

 

Supercordas – “Ruradélica”

Psicodélica indie nacional da melhor qualidade, o som do Supercordas parece que foi congelado no tempo e derretido só em 2006, ano da estréia Seres Verdes Ao Redor que traz a música e clipe – cuidado, é alucinógeno – de “Ruradélica”.

 

Panda Bear – Boys Latin

Noah Lennox – seja como integrante do Animal Collective ou em carreira solo, sob o pseudônimo de Panda Bear – é um dos principais nomes da psicodélica atual. No videoclipe de “Boys Latin”, os traços animados e visuais – acompanhados por uma estética trippy alucinante – criados pelo time Isaiah Saxon e Sean Hellfritsch, combinaram perfeitamente: cores turbulentas, ângulos de luz afiados, projeções interessantes, música quente e estranha”. A trama que descreve alguém que encontra um círculo misterioso e pulsante é certamente, o clipe mais bonito da nossa lista.

 

Menções honrosas:

MGMT – Electric Feel

 

Animal Collective – My Girls

 

Roosevelt – Montreal

 

Blockhead – The Music Scene

 

Miley Cyrus and Flaming Lips – Lucy In The Sky With Diamonds

João Paulo Porto

Criador do site 1001 Videoclips e apaixonado por The Smiths.