Para Ver Antes de Morrer: 0031. Genesis | Land of Confusion

Anos 80, Para Ver Antes de Morrer | 08 mar 18 - por João Paulo Porto

Após a saída do vocalista Peter Gabriel, que decidiu seguir uma carreira solo brilhante, o Genesis seguiu carreira com Phil Collins nos vocais e ganhou fama mundial nos anos 80 com o álbum Invisible Touch. Um blockbuster cheio de mega hits, incluindo a faixa-título, In Too Deep e “Land Of Confusion”. No meio da onda MTV, eles decidiram transformar este single em uma caprichada produção visual que só perdeu pra “Sledgehammer” (olha que coisa, do Peter Gabriel, ex-Genesis) como melhor vídeo do ano pela crítica especializada.

O clipe também possui uma crítica pesada a era da Guerra-Fria, um dos períodos mais sombrios da historia dos anos 80. Aqueles que aparecem, incluindo os três membros do Gênesis, são um verdadeiro Quem é Quem da cultura pop e da geopolítica dos anos 80. Ronald Reagan, na cama ao lado de um chimpanzé (uma referência direta ao filme de 1951 de Fred de Cordova, Bedtime for Bonzo, em que Reagan estrelou) e uma Nancy desatenta, adormece e entra num pesadelo em que uma marcha ditatorial através de um mundo de pântano sombrio é intercalada com a banda se apresentando. Os chefes dos líderes mundiais da era da Guerra Fria – Jimmy Carter, Henry Kissinger, Margaret Thatcher e o próprio Reagan são arrancados do chão lamacento.

O Genesis também critica consumismo inpiedoso no clipe de “Land of Confusion”

Após a aparição de notosos inimigos do Ocidente, como Muammar Gaddafi e o Ayatollah Khomeini, que abordam familiaridades acolhedoras, Reagan veste a fantasia de ninguém menos que o Superman, apenas para perder rapidamente o interesse, concentrando-se em um show de variedades antes de cair em outro sonho dentro de um sonho no qual ele se encontra ao lado de Nancy em um ambiente pré-histórico.

Voltando ao primeiro sonho, Reagan, agora vestido com trajes ocidentais, aparece montado num dinossauro em um ambiente urbano abandonado, enquanto Collins, em uma cena separada, telefona para outros músicos pop, que provavelmente organizarão o concerto We Are the World, na qual celebridades como Michael Jackson, Madonna e Elton John cantaram juntos, “Land of Confusion”, a trilha sonora desta trama onírica de várias camadas. 

No seu núcleo, “Land of Confusion” é uma ampla crítica e condenação das lideranças mundiais. No vídeo, vemos um presidente dos EUA confuso e fantasiado e supostos aliados como muitas das ameaças maníacas aos princípios sagrados da democracia e da liberdade. Genesis questiona a competência da liderança ocidental, sublinhando ambos inspiração e prática.

Dito isto, afastando-se da visão de mundo dos anos 80 no videoclipe, enfatizada pela detonação acidental de Reagan de uma bomba atômica depois de acordar de seu pesadelo, que é tanto engraçado quanto assustador, torna-se mais fácil prosseguir a um entendimento geral para melhor conceituar a qualidade atemporal da indagação de Genesis. 

Premiado com o Grammy por sua extraordinária edição e efeitos visuais convincentes, o clipe marcou aquela geração que cresceu com o medo da guerra nuclear. O trabalho tornou ainda mais famoso o popular programa televisivo britânico Spitting Image (de onde vieram os bonecos, uma idéia de Collins) e elevou a carreira do trio ao patamar de estrelas do rock. O final do videoclipe sugere um futuro esperançoso, acima das expectativas deixadas por aqueles tempos de guerra fria e instabilidade financeira.

Direção: John Lloyd e Yukich Jim | Produção: Jon Blair | Ano: 1986

João Paulo Porto